quarta-feira, 22 de novembro de 2017

SEM BARGANHA








Fui, a desilusão me levou;
Voltei, a esperança me retornou;
Fiquei, o acreditar me instalou;
Sorri, o amor reaflorou.
A força do entender se sobrepôs,
O sentir, dessa vez, não se impôs,
Ressaltando que a maturidade buscada
É elemento de decisão acertada.
Nessa visão é o belo que se distingue,
Como encantam os que amam e se alinham,
Colorem o mundo e a vida de tantos,
Patrocinando espetáculo tão humano.
Quem dera continuar amando assim,
O meu ser se completa e responde por mim,
Acompanho a alma da alma que me acompanha,
E o coração vibra forte, sem barganha!

(Eneida Dias de Miranda)

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

BIBLIOTECA MIL

China tem biblioteca com capacidade para mais de um milhão de livros (Foto: Divulgação)
Localizada no distrito cultural de Binhai, em Tianjin, a biblioteca de cinco andares, projetada pela empresa de design holandesa MVRDV, em colaboração com o Instituto de Planejamento e Design Urbano de Tianjin (TUPDI) e desde então denominada “O olho de Binhai”, cobre 34 mil metros quadrados e pode armazenar até 1,2 milhões de livros. Com a sua construção demorando apenas 3 anos, a biblioteca possui uma área de leitura no piso térreo, salas de estar nas secções do meio e escritórios, espaços de reunião e salas de informática / áudio no topo.


China tem biblioteca com capacidade para mais de um milhão de livros (Foto: Divulgação)
Com ares modernos e linhas fluídas – que chegam a lembrar as obras da renomada arquiteta Zaha Hadid, a biblioteca pública faz parte de um grande projeto urbano, desenvolvido pelo Instituto de Urbanismo e Design de Tianjin, que tem como grande objetivo criar na região um polo cultural de mais de 120 mil m ².


China tem biblioteca com capacidade para mais de um milhão de livros (Foto: Divulgação)
Seguindo o desenho de um olho, do qual o auditório seria a pupila, o edifício parece ecoar as formas circulares criando estruturas fluídas que percorrem toda a sua extensão e, além de estantes para livros, servem também como bancos e corredores de circulação – pelos quais os visitantes podem se sentar, ler e ainda observar outras pessoas fazendo o mesmo ao seu redor.


China tem biblioteca com capacidade para mais de um milhão de livros (Foto: Divulgação)
Os cinco andares do edifício oferecem uma ampla gama de instalações imprescindíveis. No piso térreo, por exemplo, além do auditório, ficam as áreas de leitura. Já no primeiro e no segundo andar é possível encontrar salas de estudo e de convivência. E no terceiro e quarto, escritórios, salas de reuniões, além de computadores e salas de áudio. Por fim, no subsolo estão as áreas técnicas, como salas para armazenar mais livros, além de outros arquivos que não estão abertos ao público.


China tem biblioteca com capacidade para mais de um milhão de livros (Foto: Divulgação)



Fonte: Google

sábado, 18 de novembro de 2017

AMO PORQUE TE AMO


Mesmo que pouco se importe,
Eu me importo com você.
O amor é magnânimo,
Não importa o seu parecer.
Também é muito intrigante,
Humilha, mas nos faz crescer            ,
E por me fazer assim tão grande,
Já nem sei o que seria de mim sem você.
Eu amo porque te amo,
O amanhã a nós não pertence.
Quem sabe se o meu amor
Cria ímpeto e no seu peito se estende?
A fé é força potente
E de mim não se afasta,
Transformando o meu amor
De uma grandeza que, por si, se basta.
E em nenhum lugar foi escrito
A reciprocidade obrigatória do amor,
É decisão que se escolhe
Para expressar o sentimento mais nobre!
(Eneida Dias de Miranda)

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

NATAL TODO DIA

Um clima de sonho se espalha no ar
Pessoas se olham com brilho no olhar
A gente já sente chegando o Natal
É tempo de amor, todo mundo é igual

Os velhos amigos irão se abraçar
Os desconhecidos irão se falar
E quem for criança vai olhar pro céu
Fazendo pedido pro velho Noel

Se a gente é capaz de espalhar alegria
Se a gente é capaz de toda essa magia
Eu tenho certeza que a gente podia
Fazer com que fosse Natal todo dia

Um jeito mais manso de ser e falar
Mais calma, mais tempo pra gente se dar
Me diz porque só no Natal é assim
Que bom se ele nunca tivesse mais fim

Que o Natal comece no seu coração
Que seja pra todos, sem ter distinção
Um gesto, um sorriso, um abraço, o que for
O melhor presente é sempre o amor
(ROUPA NOVA)

terça-feira, 14 de novembro de 2017

PESSOAS


Nem tem feição de inédito,
Mas cheguei à constatação
Que existem algumas pessoas
Que fazem bem a uns e a outros não.
Não sabemos de onde parte
Essa tal ambiguidade,
Porque sem explicação
Está criado o impasse.
E tudo fica mais estranho,
Tratando-se da mesma pessoa,
E um diz dela eu gosto,
O outro responde assim:
Pois ela não a suporto!
A questão é intrincada
E cabe questionamento.
Será a tal intolerância?
Ou é fruto da resiliência?
Quando sobre o mesmo ser
Cabe essa percuciência.
A resposta que agora
Assola o meu coração
É que devemos ter sempre
O sentimento da compaixão.
Aquele que nos redime
Acalma e faz perdoar,
Até porque ele permite
No lugar do outro nos colocar,
Ficando assim mais fácil
O humano alcançar!
(Eneida Dias de Miranda)




sábado, 11 de novembro de 2017

CORA CORALINA - TODAS AS VIDAS























Cora Coralina - Todas as Vidas ganha, finalmente, data de estreia. O documentário poético, que mistura realidade e ficção para contar a vida de uma das mais queridas poetas brasileiras, chega aos cinemas em 14 de dezembro. A direção é de Renato Barbieri e a distribuição, da Tucuman Filmes.
O filme de 75 minutos teve sua estreia no Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica) em agosto de 2015, nos 30 anos de morte de Cora, e foi exibido depois em outras mostras.
Ele resgata os principais períodos da vida de Anna Lins dos Guimarães Peixoto Brêtas (1889-1985), que ficou conhecida como Cora Coralina. Quatro atrizes se revezam no papel da poeta doceira: Walderez de Barros, que interpreta Cora no final de sua vida; Camila Salles, que faz o papel de sua trisavó aos 5 anos; Maju de Souza, Cora aos 14; e Camila Márdila (premiada em Sundance), aos 21. Teresa Seiblitz também está no elenco.
Livremente inspirado no livro Cora Coralina - Raízes de Aninha, publicado pela Ideias & Letras em 2009, o filme mostra, ainda, imagens da poeta e atrizes diversas lendo seus poemas. 






















          


           FALAS DO TRAILLER DO FILME

Minha vida, meus sentidos, minha estética, todas as vibrações de minha sensibilidade de mulher têm aqui suas raízes. 
Eu sou a menina feia da ponte da Lapa. Eu sou Aninha.

Meus anseios extravasaram a velha casa. Arrombaram portas e janelas e eu me fiz ao largo da vida. Andei por mundos ignotos e cavalguei o corcel branco do sonho. Chorei ali, já do lado mineiro, minhas lágrimas de despedida.

E fui caminhando, caminhando e me nasceram filhos. E foram eles, frágeis e pequeninos, carecendo de cuidados, crescendo devagarinho.

Vestida de cabelos brancos, voltei sozinha à velha casa deserta.

Ajuntei todas as pedras que vieram sobre mim. Teci um tapete floreado e no sonho me perdi. Uma estrada, um leito, uma casa, um companheiro, tudo de pedra.
Entre pedras cresceu a minha poesia. Minha vida: quebrando pedras e plantando flores.
Entre pedras que me esmagavam, levantei a pedra rude dos meus versos.



Fontes: Artigo do Estadão, por Maria Fernanda Rodrigues; Internet















quinta-feira, 9 de novembro de 2017

LIVROS QUE LI, QUE ESTOU LENDO, RELENDO...

Bárbara Lima é natural de Fortaleza e reside em Natal/RN.
Leitora assídua, apreciadora dos mais diversos estilos, vem, gentilmente, trazer aos que acessam o  blog http://percepcoesreais.blogspot.com.br/  sua colaboração com a #DICADELEITURA.  Sua publicação nas redes sociais, intitulada “Livros que li, que estou lendo, relendo...” expõe:  “Adoro romances, relatos de viagens, memórias, livros de receitas...farei aqui uma vitrine deles...para quem quiser ler também, sentar para discutir tomando um cafezinho, trocar impressões virtuais...”
Periodicamente, traremos alguns títulos apreciados/lidos por Bárbara Lima para sua consideração. O que pode ajudar tanto na indicação de uma leitura pessoal, como de alguma sugestão para presente.
Boa leitura, boas amizades!



                                                           OS LIVROS


 "Visitar uma floresta pré-histórica, aprender uma atividade manual ou provar ostras. Jorge tem mais de trinta anos e nunca se aventurou por nenhum desses caminhos. Entediado, cansado, oblíquo, o protagonista dessa história não viveu: agarrou-se com todas as certezas a uma existência sem grandes ambições. Até conhecer Marcel e Rachelyne, o casal de franceses octogenários que, ao contrário dele, vive cada dia com intensidade e estardalhaço. A partir da inusitada amizade e afeto que constrói com os Durcan, Jorge desperta aos poucos de sua letargia, se apaixona, se emociona, arrisca-se, ousa. Quem sabe poderá, até o final desconcertante dessa história, chegar a gostar de ostras?" Li num fôlego só. Não conhecia nada desse autor, agora virei fã. 







Os Ladrões de Cisne, de Elizabeth Kostova (Editora Intrínseca): Um romance sobre arte e obsessão. Um mistério que ultrapassa séculos e continentes. Uma história de amor que atravessa a última fronteira. A autora explora com habilidade o universo de um pintor, a paixão, a criatividade, os segredos e a loucura e evoca um universo que persiste tempos depois de o leitor virar a última página.






 ·Sob o Sol da Toscana, de Frances Mayes (Rocco) – Frances Mayes, narradora de viagens, gastrônoma e poeta com várias obras publicadas, nos apresenta o incrível mundo novo que descobriu, quando comprou e reformou uma casa de campo abandonada no interior da Toscana. Com uma linguagem sensual e evocativa, ela faz com que o leitor a acompanha à medida que vai descobrindo a beleza e a simplicidade da vida na Itália. Talentosa ao fogão e na produção de textos sobre culinária, Mayes também cria dezenas de deliciosas receitas sazonais a partir da sua cozinha tradicional e sua horta simples, todas elas incluídas no livro. Uma enaltação da extraordinária qualidade de vida na região, Sob o sol da Toscana é um banquete para todos os sentidos.










Quando Nietzsche chorou, de Irvin D. Yalom (Ediouro) – Josef Breuer, um dos pais da psicanálise, está prestes a se deparar com um grande desafio: tratar do filósofo Friedrich Nietzshe, atormentado por uma crise existencial e por uma depressão suicida. Mentor de Freud, Breuer, entretanto, vive também um momento de angústia, obcecado pelas fantasias sexuais com Anna O., jovem que tratou com seu novo método terapêutico. O encontro destes dois homens extraordinários resulta numa profunda amizade, aqui recriada pela imaginação poderosa de Irvin D. Yalom, conhecido psiquiatra e escritor renomado. Tomando como pano de fundo a Viena do final do Século XIX, ele constrói um romance apaixonante, em que realidade e ficção se misturam, assim como a literatura, a filosofia e a psicanálise.









O Próximo Item da Lista, de Jill Smolinski (Editora Bertrand Brasil): Após um encontro em uma reunião, June dá carona a Marissa, e elas sofrem um acidente de carro; Marissa morre e June acha em sua bolsa uma lista com “20 Coisas a Fazer Antes do Meu Aniversário de 25 Anos” e, apesar de mal terem se conhecido, June se sente obrigada, tanto pela culpa quanto pelo desejo de consertar as coisas, a cumprir a lista de Marissa...

(I PARTE)