domingo, 18 de fevereiro de 2018

UMA CARTA DE AMOR PARA A HUMANIDADE*



















“Uma carta de amor para a humanidade


No passado usávamos as florestas para fugir dos predadores, hoje os maiores predadores estão dentro de nós, como a ruminação de mágoas, a autopunição, a hipersensibilidade, o ciúme, a inveja, o sentimento de vingança, o baixo limiar para frustrações, o excesso de trabalho, a necessidade neurótica de mudar os outros e a necessidade ansiosa de poder e de estar sempre certo. Esses predadores nos transformam em escravos vivendo em sociedades livres. Não há como fugir deles, a não ser que possamos domesticá-los.

No passado, nos escondíamos nas cavernas com medo dos raios; hoje nos abrigamos em nossas cavernas psíquicas, assombrados pelos fantasmas mentais, como a ansiedade, a impulsividade, a autocobrança, o pessimismo, o conformismo, que sabotam nossa felicidade, liberdade e saúde emocional. Mas como educar nossos predadores mentais e domesticar nossos fantasmas emocionais para sermos felizes, livres e saudáveis? É necessário realizar diariamente o treinamento dos treinamentos: a gestão da emoção.

Nunca esqueça que ser feliz, livre e saudável é treinar sua emoção para ouvir o inaudível e enxergar o invisível, pois, se você perceber apenas o tangível, jamais descobrirá as lágrimas nunca choradas e as palavras nunca expressas, sejam as suas , sejam as de quem ama. É ainda treinar pensar como adulto, mas sempre se sentir como uma criança.

Ser feliz, livre e saudável é treinar seu Eu para questionar suas próprias verdades e se posicionar humildemente como um ser humano em construção, um eterno aprendiz, pois, se você for autossuficiente, uma pessoa completa, será estéril, deixará de inovar e de se reinventar como educador, amante, líder, profissional.

Ser feliz, livre e saudável é treinar sua empatia e seu altruísmo e declarar que, independentemente de cultura, sexo, condição social, somos membros de uma única família: a humanidade. É descobrir que nossas diferenças estão na ponta do iceberg da nossa mente, pois, na imensa base, somos exatamente os mesmos. É ter a convicção de que ninguém pode ser chamado de ser humano se não respeitar os diferentes.

Ser feliz, livre e saudável é treinar pacificar a própria mente, não destruindo irresponsavelmente seus recursos naturais por sofrer por antecipação, por ruminar perdas e mágoas, ter dificuldade de conviver com pessoas lentas, ser viciado em apontar falhas e elevar o tom de voz. Saiba que antes de o planeta Terra falir, primeiro vai à falência o planeta cérebro.

Ser feliz, livre e saudável é treinar o próprio olhar para ver o charme nas limitações e nos defeitos dos outros, pois você também é imperfeito, e só não erra quem está morto. É saber que você pode conviver com milhares de animais e nunca terá uma decepção, mas, se conviver com outro ser humano, haverá frustrações. É saber que você também frustrará as pessoas que mais ama.

Ser feliz, livre e saudável é deixar de ser um predador de quem falha, pois, por trás de uma pessoa que fere há uma pessoa ferida. É saber que a maior vingança contra um inimigo é compreendê-lo e perdoá-lo; e o maior favor que se faz a ele é odiá-lo, pois ele dormirá com você e destruirá seu sono. Só é feliz quem é capaz de fazer os outros felizes.

Ser feliz, livre e saudável é treinar o próprio Eu para saber que ciúme é saudade de si mesmo, pois quem tem ciúme exige do outro a atenção que não dá a si próprio, cobra um reconhecimento do outro que nunca teve consigo. Ser feliz é saber que, antes de namorar alguém, você precisa namorar a sua vida. Se ninguém lhe der flores, vá à floricultura e compre-as para si.

Ser feliz, livre e saudável é reconhecer que, ao longo da história, atiramos pedras na parte mais generosa da humanidade, as mulheres. É entender que ainda hoje as apedrejamos com o padrão tirânico de beleza e com salários inferiores pelas mesmas atividades. Ser feliz é saber que as mulheres são os diamantes da humanidade. Se elas dominassem o mundo, haveria menos guerras, pois não teriam coragem de enviar os próprios filhos para os campos de batalha.

Ser feliz, livre e saudável é ter convicção de que os tesouros da humanidade não são as empresas, o petróleo, o ouro, mas nossas crianças. É ser contra o assassinato coletivo da infância delas. Elas têm tempo para tudo, menos para ter infância. É não intoxicá-las digitalmente nem com excesso de atividades, pois o gênio de hoje se tornará o adolescente ansioso amanhã. É não dar drogas da obediência para quem tem a síndrome do pensamento acelerado, mas não é hiperativo – e apenas 1% o são. É saber que o melhor medicamento é seu tempo: tempo para brincar, ser palhaço, contador de histórias, ser um herói imperfeito.

Ser feliz livre e saudável é treinar a sensibilidade para entender que a vida é assombrosamente breve para ser vivida e dramaticamente longa para se errar. Ser feliz não é estar alegre em todos os momentos, mas usar a ansiedade para nutrir a tranquilidade, as vaias para irrigar a coragem e as derrotas para dar musculatura à capacidade de se reinventar.

Ser feliz, livre e saudável não é apenas festejar aniversários e datas importantes, mas festejar diariamente a existência de quem amamos. É dizer para os filhos: “Você é insubstituível, obrigado por existir!” É declarar para os pais: “Sem vocês, meu céu não teria estrelas.” É expressar para quem ama: “De todas as coisas que conquistei na vida, você é a melhor delas. “Ser feliz é ser um engenheiro de janelas light nos solos do inconsciente de quem amamos.

Portanto, ser feliz, livre e saudável não é uma fatalidade do destino, mas uma questão de treinamento, é aprender a perder o trivial para conquistar o essencial. É atravessar desertos fora de si, mas conseguir conquistar um oásis por dentro. É ter maturidade para perguntar: “Onde eu errei e não soube?” É ter sabedoria para dizer: “Desculpe-me, me dê mais uma chance.” E, acima de tudo, é nunca desistir da vida, mesmo que desistam de você. É saber que sua paz vale ouro e que o resto é insignificante.

Que você diariamente conquiste uma felicidade sustentável e treine ser livre mentalmente e saudável emocionalmente. Se treinar, não tenha medo de falhar; se falhar, não tenha medo de chorar; se chorar, corrija suas rotas, mas não desista, dê sempre uma nova chance para si mesmo. Que nas suas primaveras emocionais você seja amante da alegria e, nos seus invernos existenciais, seja amigo da sabedoria.

Jamais desista de ser feliz. Lute sempre pelos seus sonhos. Seja profundamente apaixonado pela vida,  pois, apesar de seus defeitos, a sua vida é um espetáculo único, imperdível e irrepetível.”

Augusto Cury, do Livro O Homem Mais Feliz Da História*




















quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

ELA


Do arvoreio brotante,
Veio doce e determinada,
Feito uma flor resistente,
Mas dona de uma essência pura e resiliente.
Para abarcar tantas causas,
Floresceu e enraizou,
Pelos prados se soltou
Sem temor ou leniência;
Ao contrário, demonstrou
O tanto que o Criador lhe proveu com competência.
Com tantos bons predicados,
O amor lhe despertou,
E a divina providência logo se pronunciou,
Enviando-lhe um igual no carinho e no amor,
Sem fugir do ritual se uniram com louvor.
Todos os envidamentos de quem respeita e confia
Foram redirecionados à mesma serventia,
Porque assim é o Universo,
Conspira a nosso favor,
Mas que ninguém se engane,
A medida do retorno é a que cada um pagou!
(Eneida D M)




segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

EU QUERO


             

Quero realizar os meus sonhos
Como os vejo no coração e na mente,
Mas quero, antes de tudo,
Que Jesus os abençoe na frente.
Quero amar as pessoas,
A todas, individualmente,
Quero que a humanidade
Um dia desperte decente.
Quero caminhar com firmeza;
Quero proceder de forma reta;
Quero que meu canto seja livre,
E creio que só a verdade liberta.
Quero encontrar muitas pessoas
E delas receber tantos abraços;
Quero desejar-lhes só o bem,
O mesmo que de volta pra mim vem.
Quero adotar o respeito
E que ele seja constante;
Quero dentro do meu peito
Um claro de sol brilhante!
(Eneida D M)

sábado, 10 de fevereiro de 2018

PONTA DE CAMPINA - A PRAIA



A praia que eu possuo
É lugar bonito e raro,
Dos mais paradisíacos,
Preenchendo todo espaço
Dos olhos, do coração,
Da alma e qualquer sentido,
Pois, pro lado que se olha,
Se sorrir e se deleita,
Porque nela toda habita
A senhora natureza.
A vegetação verde e rasteira,
Também os coqueiros esparsos,
Acrescentam beleza ao mar,
Exaltando  a demonstração
Que estão a se completar!
O mar às vezes é turvo,
Outros dias esverdeado,
Mas a maior parte do tempo
O azul é ostentado!
O mar é calmo, tranquilo,
Ondas, só em marés altas,
Na baixa temos o fenômeno
Que encanta e fascina,
É com nossos próprios pés
Singrar quase meia milha.
A cidade que a circunda
Não sei se é ao contrário,
Confere aos que a frequentam
Uma sensação potente,
Poder mergulhar no mar
Sentindo-se no continente.
Nas noites de lua cheia,
Oh! Que bela sensação
Poder contemplar de perto
Essa obra da criação.
Vê-se o mar abraçar a lua,
Que em seguida vai embora,
E o claro quase dia
Pouco a pouco se desfaz,
Deixando no coração
Muita calma e muita paz!
A praia que eu possuo
É palco de espetáculo,
Se pratica muito esporte
No mar, no ar, na terra,
Dando um colorido extra
À natureza tão bela.
Tudo que aqui se vive
É bem simples e nos anima
E essa praia que possuo
É a Ponta de Campina!
(Eneida D M)



quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

A INVEJA

Infelizmente, há pessoas
Que são muito invejosas,
Se incomodam com os outros
Em toda a sua trajetória,
Inferindo-se a olhos vistos
O quanto a vitória incomoda.
Sentimento tão nefasto
Não deveria prosperar,
Pois causa grande desconforto
Em quem insiste alimentar,
É sentimento que não acrescenta
E faz o humano definhar.
Muitas vezes o invejoso
Não se encontra em sua razão,
Porque inveja o que os olhos veem
Sem ter nenhuma compreensão
De que nem sempre o que a vista alcança
Faz bem ao coração!
Ainda registra-se o fato
Que tem muita relevância,
Trata-se de pecado capital
Que aos que creem alcança,
E salutar deve ser
Não cobiçar a vida do outro
Porque em nosso coração
Deve residir um tesouro,
Que é o da gratidão,
Dando-nos paz e conforto!
(Eneida D M)