quarta-feira, 23 de maio de 2018

WHATSAAP: MERECE UMA REFLEXÃO?



WHATSAAP: MERECE UMA REFLEXÃO?

Você realmente lê as mensagens que recebe via Whatsaap ou só reenvia?
Pergunta que veio a minha mente depois de observar o comportamento das pessoas em geral e traçar um paralelo com o tanto de mensagens trocadas pelas redes sociais.
Nem sou parâmetro para ser tomado como exemplo, pois não tenho vários grupos, nem tantas pessoas fazem parte do meu convívio virtual.
Mesmo assim, são inúmeras as mensagens diárias e postagens a mim acessíveis, com todos os tipos de moção: emoção, diversão, religião, natureza, e uma constatação óbvia: a maioria fala de Deus, do sabor da amizade, do altruísmo, da gratidão, e por esse norte vai.
Pois bem. É exatamente o conteúdo dessas mensagens que me faz indagar de onde aflora  o desacerto e/ou a incoerência de se enviar tantas mensagens com essas motivações, se  é fato que dia após dia as pessoas estão andando na contramão do que ensinam os posts destinados.
Na realidade, o que se vê no cotidiano são pessoas mais estressadas, insatisfeitas, sem aceitação de si próprias, egoístas, enclausuradas na tela de um aparelho eletrônico, que lhe permita a conexão com alguém.
A mim impressiona bastante a tamanha disposição de se encaminhar em um só dia um número de posts que foge as raias da razoabilidade, e ao mesmo tempo manter comportamento tão dissociado do que está escrito neles, ou então é o momento de se encontrar a resposta para a pergunta inicial deste texto, qual seja, se se afigura plausível pensar que pelo menos a maioria não lê o conteúdo dos ditos posts.
Guardadas as devidas exceções, contidas naturalmente em qualquer aspecto que se aborde, a impressão que tenho é que instalada está uma carência humana da qual não se sabe identificar a razão, a origem, em qual segmento da vida está a lacuna a ser preenchida, se na esfera profissional, pessoal, familiar, ou se, num descompasso maior, em todas. Assim, cada vez que dispara o gatilho, apontando ou rememorando a insuficiência de satisfação, de preenchimento, esse fato enseja a necessidade de se enviar uma nova postagem. Daí, como a mente em desequilíbrio não tem filtro, gera a compulsão por postagens ou envios de mensagens, selfies, como uma forma de chamar a atenção, lembrando  da sua existência, o que, acredito, alivia as ausências sentidas, mesmo não importando o que do seu verdadeiro eu está sendo passado, se aquilo que alguém colocou naquele texto lhe identifica, criando uma relação de verdade e confiança com os demais, um juízo de valor de você que lhe identifique em qualquer circunstância, que pode nem ser o modelo ou o protótipo que o mundo rotula de ideal, mas que tenha a sua essência.
O Whatsaap surgiu como mote, em vista de ser uma ferramenta de uso universal de alcance imediato. Mas, o comportamento humano acima exposto desvirtua a sua utilidade, pois, mesmo que também tenha a função de entretenimento, informação, o abuso no sentido excesso acaba por vezes de fornecer elementos para o desequilíbrio de muitos.
Não raras vezes ouvi amigos desarvorados colocando que só não dispensariam o Whatsaap por razões profissionais, dado o número excessivo de mensagens desnecessárias, sem graça,  sem conteúdo ou mesmo fake, apesar de que, se não todas, muitas em que você fique em dúvida já tem como averiguar a sua autenticidade ou não. Isso se o afã pelo reenvio não fosse tão acirrado....rsrsrs.
É de conhecimento da maioria o elevado número de diagnósticos de transtornos emocionais, em decorrência da prática desmesurada do acesso às redes sociais, visualizando-se de forma superficial o que lá está exposto, sem nenhuma interpretação ou um olhar mais apurado, o que que vai influenciando negativamente o ser por não se achar capaz ou detentor daquelas realidades virtuais.
Fico a conjecturar que, se as pessoas se dispusessem a ler todas as mensagens que reenviam, o cérebro, por si só, com a capacidade memorial que nele reside, passaria a internalizar os ensinamentos e, consequentemente, de forma natural, seria operada a mudança de comportamento.
Ao contrário, como já dito linhas atrás, as pessoas estão cada dia mais distantes uma das outras, ausentes de si mesmas, o que tem explicação na própria encarceração com o aparelho, tornando-as mais sensíveis, de uma vez que, digamos, a comodidade e a liberdade de manipular um aparelho ao seu bel-prazer vai retirando do ser humano a capacidade de enfrentamento das questões no corpo a corpo com o semelhante, fragilizando-o nas  atitudes e palavras.
Então, como forma de suprir esse desequilíbrio, essa falta de si próprio, optam por se apresentar de forma a atrair os olhares a atenção, querendo a todo e qualquer custo a aceitação, o que, na verdade, é  o que aconchega. É quando abre-se esse cenário que nos deparamos no dia a dia: pessoas maquiadas, sempre se exercitando, brindando com amigos, em viagens excepcionais, sorrisos largos e todas as caras e bocas inimagináveis, mas significativas para a leitura da maioria dos conectados.
Entretanto, como, no geral, essas situações não vêm acompanhadas de uma satisfação plena, pois muitas vezes foram criadas para a aceitação dos outros ou mesmo como fuga, aí é que exacerba o descompasso emocional, porque entre o que se publica e o que realmente sente o protagonista das postagens há uma enorme distância, colaborando para a construção de pessoas vazias, impacientes, sem conteúdo suficiente a sustentar uma partilha de conversa animada e proveitosa.
Realmente é lamentável termos tanto a nosso alcance e tão pouco ser aproveitado. Refiro-me à tecnologia atual, que coloca à disposição de todos recheadíssimo acervo cultural,  de entretenimento, profissional, espiritual etc.  Bastaria para um ensinamento que aproveitasse, no sentido de as pessoas lançarem um outro olhar para as suas vidas, não como solução, mas como uma parcela de ajuda, que os internautas lessem os bons posts, as boas mensagens que recebem pelas redes sociais e se deixassem com abertura para internalizar o bom. Consequente e naturalmente isso iria enraizando, ganhando corpo e chegando na alma na mais pura essência, que, sem dúvida, ajudaria num rever pessoal de cada um com o respectivo retorno para os outros.
E, uma vez essa corrente do bem formada, estaria instalada a esperança de dias melhores para todos nós!
(Eneida D M)

segunda-feira, 21 de maio de 2018

FORÇA INTERIOR


Quando as dores do passado quiserem te visitar;
Quando o teu antigo pranto insistir em chorar;
Quando o sono resistir em se apresentar;
Respire com lentidão,
Ajeite o travesseiro,
Pegue cá o lenço,
Viva tudo de novo sem rejeitar.

Porém, imprima um novo olhar,
Ponha uma certeza no coração,
A rocha não nasceu com grande dimensão,
E grande também é seu poder de reação.

Sofrimentos podem até desinstalar,
Mas trazem suporte para nos sedimentar.
Não há promessa de facilidade nessa vida,
Mas se quiseres, encontras a saída,
Basta a força interior buscar,
Ela está lá,
À espera do seu precisar!
(Eneida D M)

sábado, 12 de maio de 2018

DIA DAS MÃES


Comemoramos este dia,
Escolhido como o das mães,
Com alegria na alma
E amor no coração,
Continuando o amor
Que no ser já se instalou,
Quando à luz ela legou.
Amor distinto, bem diferente,
É assim o amor de mãe,
Não tem condição nem hora,
Sempre pronta, sem demora,
É toda e só doação.
Com os filhos, ri e chora,
Se desdobra, se apavora, se arvora
Dentro do contexto vida.
É uma batalha aguerrida,
Numa incessante vigília
Na busca da sabedoria,
Se valendo da oração
Para ajudar a construir,
Orientar e servir
Àqueles que por destino
Ao seu peito veio se unir.
Parabéns a todas as mães!
Hoje, e por toda a vida,
Desejo-lhes vida longa,
Com harmonia na família,
Muita paz no coração,
E Jesus para iluminar os seus dias!
(Eneida D M) 

quinta-feira, 10 de maio de 2018

DE MÃE PARA FILHO*



O que fazer para que tu entendas
Que teu futuro só de ti depende
Eu sou apenas o teu alicerce
Para a futura sombra de um alpendre

De quem dependerás senão de ti
Quando sozinho tu te encontrares?
Tu lembrarás, por fim, que eu tentei
Ser do alpendre, ao menos, os pilares

Quando o futuro se fizer presente
Compreenderás, decerto, calmamente
Por que por vezes fui descomedida

É que não posso proteger teus passos
Te resguardar envolto nos meus braços
O tempo todo e por toda a vida.

*(Laudicéa Ramos, do Livro Ao Sabor das Rimas)

quarta-feira, 9 de maio de 2018

PROTAGONIST


I will plant a garden in my heart
Many flowers will surely transmit their joy
This precedes the mission
To water it step by step, day by day
I will water for gratitude to blossom
I will water for humility to settle
I will water to cultivate forgiveness
I will water for love to increase.
In this case, then,
Will I be the protagonist?
Of a legacy I dream of giving
To mine, yours and who else’s?
I know it looks like utopia, suggesting superiority,
No way! Do not worry!
This is part of the will
To shake apathetic hearts
That by awakening from the marasmus
You can feel an ultimatum
That life has only value
When we are able someday
To collaborate with humanity!


PORTUGUESE


Vou plantar um jardim no meu coração,
Muitas flores certamente contagiarão sua alegria.
Para isso, precede a missão
De regá-lo passo a passo, dia a dia.
Vou regar para a gratidão florescer;
Vou regar para a humildade se instalar;
Vou regar para cultivar o perdão;
Vou regar para o amor aumentar.
Em assim sendo, então,
Será que serei protagonista
De um legado que sonho dispensar
Aos meus, aos teus e aos de lá?
Sei que até parece utopia, sugerindo superioridade,
Mas, que nada! Não se inquiete!
Isso faz parte da vontade
De chacoalhar corações apáticos,
Que, ao despertar do marasmo,
Pode sentir um ultimato,
Que a vida só tem valia
Quando a gente puder um dia
Colaborar com a humanidade!
 (Eneida D M)

segunda-feira, 7 de maio de 2018

PROTAGONISTA



Voy plantar un jardín en mi corazón,
Muchas flores ciertamente aumentarán su alegría.
Para ello, precede a la misión
De regarlo paso a paso, día a día.
Voy a regar para la gratitud florecer;
Voy a regar para que la humildad se instale;
Voy a regar para cultivar el perdón;
Voy a regar para que el amor aumente.
En ese entonces,
Seré protagonista
De un legado que sueño dispensar
¿A los míos, a los tuyos y a los de allí?
Sé que hasta parece utopía, sugiriendo superioridad,
¡Más que nada! ¡No te preocupes!
Esto forma parte de la voluntad
De balançar los corazones adormecidos,
Que al despertar del apatía,
Puede sentir un ultimátum,
Que la vida sólo tiene valía
Cuando uno puede un día
¡Colaborar con la humanidad!




PROTAGONISTA


Vou plantar um jardim no meu coração,
Muitas flores certamente contagiarão sua alegria.
Para isso, precede a missão
De regá-lo passo a passo, dia a dia.
Vou regar para a gratidão florescer;
Vou regar para a humildade se instalar;
Vou regar para cultivar o perdão;
Vou regar para o amor aumentar.
Em assim sendo, então,
Será que serei protagonista
De um legado que sonho dispensar
Aos meus, aos teus e aos de lá?
Sei que até parece utopia, sugerindo superioridade,
Mas, que nada! Não se inquiete!
Isso faz parte da vontade
De chacoalhar corações apáticos,
Que, ao despertar do marasmo,
Pode sentir um ultimato,
Que a vida só tem valia
Quando a gente puder um dia
Colaborar com a humanidade!

Eneida Dias de Miranda, do Livro Percepções

sexta-feira, 4 de maio de 2018

EVANGELHO: João 15, 12 – 17


Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:  Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei.  Ninguém tem amor maior do que aquele que dá sua vida pelos amigos. Vós sois meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando.  Já não vos chamo servos, pois o servo não sabe o que faz o seu senhor. Eu chamo-vos amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi de meu Pai.  Não fostes vós que me escolhestes, mas fui eu que vos escolhi e vos designei para irdes e para que produzais fruto e o vosso fruto permaneça. O que, então, pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo concederá. Isto é o que vos ordeno: amai-vos uns aos outros.
           Palavra da Salvação